http://www.imolinari.com.br/wp-content/uploads/2013/05/roberio-p-artista.jpgRelease
Robério Molinari

Nascido no Rio de Janeiro, cedo iniciou os estudos musicais. Graduou-se em Música (Piano) no Conservatório Brasileiro de Música (CBM/RJ) em 1985. Entre 1984 e 1988 estudou técnica e interpretação com a Pianista Sônia Maria Vieira, com o Pianista Homero de Magalhães e, em 1991, se especializou em Piano na Escola de Música da UFRJ, sob a orientação do Pianista e Compositor Heitor Alimonda. Estudou regência com o Pianista e Maestro Homero de Magalhães no RJ, e com o Maestro Carlos Alberto Pinto Fonseca em BH. É Mestre em Música (Piano) pela UFRJ (2011).

Já obteve diversos prêmios em Concursos de Piano e Concursos Públicos de Música (24 ao todo), dentre eles, 10 primeiros lugares, 5 segundos e 2 terceiros lugares em diversas cidades brasileiras, além de prêmios tais como “Revelação”, “Melhor Intérprete de Música Moderna”, “Melhor Pianista Acompanhador” e duas vezes “Melhor Intérprete de Música Brasileira”.

Realizou vários recitais e concertos em locais tais como: Sala Cecília Meirelles (RJ), Teatro Municipal do Rio de Janeiro (RJ), Sala Guiomar Novaes (RJ), Teatro Municipal de Niterói (RJ), Salão Leopoldo Miguez (RJ), Sala Arnaldo Estrella de Juiz de Fora (MG), Grande Teatro do Palácio das Artes de Belo Horizonte (MG), Teatro do SESC (SP), Teatro São Pedro (SP), Teatro Nacional de Brasília (DF), entre muitos outros.

Realizou também mais de 70 gravações em áudio e vídeo (inclusive ao vivo e para a TV), dentre as quais: 1 vinil pela EMUFRJ, o CD duplo “Canto das Américas”, o CD “Sete Cidades”, e ainda, várias participações em outros CDs, dentre elas: com o Quarteto Carajazz, Quarteto MinaSax, Quinteto Horizontes, Coral Sesiminas, o cantor e compositor Renato Motha, e com o tenor João di Souza. Também em DVD, como pianista: com o i Molinari, na ópera “La Serva e L’Ussero”, na ópera “O Homem Que Confundiu Sua Mulher Com Um Chapéu”, vários concertos com a Orquestra Filarmônica de MG (inclusive 1 CD para o selo Naxos) e, como regente, com o Coral Sem Fronteiras.

Foi Professor de Percepção Musical do Coral da ASSEFAZ de 1996 a 1998, e foi Professor de Piano da Escola de Música da UFMG de 1992 a 1995. Também leciona em caráter particular Piano, Percepção Musical e Apreciação Musical, em Belo Horizonte, onde montou o “Curso Audiovisual de Apreciação Musical”, o “Curso Preparatório de Percepção Musical para o CEFAR, UEMG e UFMG” e o “Curso de Editoração Eletrônica de Partituras no Computador”. Desde 1998 é Professor de Piano e Música de Câmera da Escola de Música da UEMG e Professor do Centro de Formação Artística – CEFAR do Palácio das Artes – Fundação Clóvis Salgado, em Belo Horizonte, Minas Gerais.

Foi Regente Titular do Coral da AABB, o “Madrigal Vox” em 1993/94, da “Orquestra Sem Fronteiras” de BH (2006), do Grupo Instrumental da Escola de Música da UEMG “Indeceto” (2004/06), do “Coral Sem Fronteiras” (1999/2010), e ainda integra o “Bacamarte” do RJ, o “Quinteto Horizontes”, o “Quarteto Carajazz” e o “i Molinari camerata musici”, estes de BH.

“Suas realizações pessoais… mostram a amplitude do seu pensamento em relação à música… Além de profundo conhecedor da Música Brasileira, é possuidor de indiscutível domínio da técnica pianística…” - Heitor Alimonda, pianista e compositor

“…um dos melhores talentos do Brasil, tanto por seus dotes pianísticos excepcionais, quanto por sua aguda inteligência da realidade e beleza do fenômeno musical…” - Homero de Magalhães, pianista e maestro

“…grande artista e que, sem dúvida, merece ser conhecido além-fronteiras…” - Osvaldo Veiga Jardim, maestro

“…grande intérprete dos compositores brasileiros e do repertório universal…” - José Vieira Brandão, pianista, maestro e compositor

“…brilhante pianista… esse talentoso Músico tem todas as qualificações de modo a fazer grandes performances…” -  Linda Bustani, pianista

“…Sempre acreditei na sensibilidade e performance do pianista ROBÉRIO MOLINARI, os arranjos são belíssimos… Mas, realmente o que mais me sensibilizou foi ouvir três composições de minha autoria, tocadas e arranjadas como eu faria. Gosto do Robério como um filho e o ouço como um fã.” - Gilson Peranzzetta, pianista, compositor e arranjador